Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

21 de fevereiro de 2024 Rio do Sul
  • ref_a_unimed_AV_banners_INSTITUCIONAL (2)

Para coibir furtos de hidrômetros, Casan garante reforço da Polícia Militar


Por GCD Publicado 07/11/2023 às 11h39
Para coibir furtos de hidrômetros, Casan garante reforço da Polícia Militar.
Foto: Acervo Casan

O hidrômetro, instrumento que faz a medição do consumo de água, está sendo alvo de furtos constantes nos municípios atendidos pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) na Região Metropolitana da capital. A ação dos criminosos da chamada “gangue do cobre” levou a Companhia a pedir o apoio da Polícia Militar de Santa Catarina. A Polícia Militar se comprometeu a reforçar o policiamento nas áreas de maior número de ocorrências registradas.

No início de 2023, a Agência da Casan de São José já tinha recorrido à Polícia Civil para tomar providências. Na época, foi feita uma varredura em possíveis locais de receptação pela cidade, já que o principal objetivo dos criminosos ao furtar é revender o cobre da carcaça do aparelho.

Além de hidrômetros, a “gangue do cobre” também vem roubando fios. Além disso, equipamentos elétricos como ventiladores, bombas, elementos dos quadros de comando, correntes, gradeamento, válvulas e registro. Só na Unidade de Recuperação Ambiental operada pela Casan na Beira Mar Norte, em Florianópolis, já foram 10 ocorrências de furto entre abril e julho. O prejuízo total com esses roubos foi de R$ 1 milhão à Companhia.

Hidrômetros roubados

De 2022 para 2023, o aumento dos furtos de hidrômetros na Região Metropolitana foi de 83% no número de ocorrências. No mesmo período de análise, o número passou de 498 para 911 equipamentos furtados.

São José tem a maior incidência de furtos, com mais que o dobro de ocorrências em relação ao ano passado. Foram 496 até outubro de 2023 contra 190 no mesmo período no ano passado, um aumento de 175,8%. Os bairros Serraria, Barreiros e Campinas são os que tiveram o maior número de registros.

Já na Capital, foram 292 furtos até outubro de 2023, contra 213 no período em 2022 (37,08% de aumento). O maior número de registros está concentrado nos bairros Capoeiras, Jardim Atlântico e Estreito, todos na parte Continental.

Considerando que a substituição de um hidrômetro custa R$ 293,44, a Companhia recebeu só esse ano um prejuízo de R$ 267 mil reais com os roubos. Portanto, além do problema financeiro, a falta do aparelho prejudica o abastecimento. Chegando a desperdiçar até três mil litros por hora e podendo paralisar serviços essenciais e atividades econômicas das unidades furtadas.

Depois do furto

A Casan orienta o usuário furtado a fazer um boletim de ocorrência e solicitar a instalação de um novo hidrômetro pelo número de serviço 115 ou pelo 0800 643 0195. Por fim, a Companhia reforça que as penalidades e os custos da instalação do novo hidrômetro poderão ser de responsabilidade do usuário se ele não apresentar defesa em até 15 dias após o furto, utilizando o boletim de ocorrência. A defesa então passa por uma Comissão Julgadora e, caso seja aceito o pedido, a Casan não cobra a reinstalação.

  • AmandaFM_PrimeiroLugar_BANNER_728x90 (1)

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Baixar o App na Google Play Baixar o App na App Store