Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

26 de fevereiro de 2024 Rio do Sul
  • REF1_Unimed AV_Banner_Portal_GCD_BannerDesk (1)

Operação da PF no Estado combate pornografia infantil pela internet 


Por Cristiane Faustino Publicado 29/09/2023 às 09h53
Operação da PF no Estado combate pornografia infantil pela internet
Foto: Polícia Federal SC

Nesta sexta-feira, 29, a Polícia Federal deflagrou a Operação Against the Law. A ação tem foco na repressão do compartilhamento e posse de imagens e vídeos envolvendo abuso sexual infantojuvenil por um usuário da internet em Florianópolis. A polícia deteve o homem sob investigação em flagrante.

As investigações tiveram início com base em relatórios de informação elaborados pela Polícia Federal, resultando na identificação do suspeito responsável pelo compartilhamento de arquivos contendo cenas de violência sexual contra crianças e adolescentes. O homem cometia esse crime usando redes de compartilhamento de arquivos ponto a ponto, que são conhecidas como P2P.

Sob autorização da 7ª Vara Federal de Florianópolis, um mandado de busca foi emitido para identificar o autor do crime. Além disso, os agentes buscavam reunir outras evidências, incluindo a identificação dos dispositivos utilizados para armazenar e compartilhar as imagens de exploração sexual infantojuvenil.

Durante a operação, a polícia apreendeu equipamentos de informática, telefones celulares e mídias de armazenamento. Todo material será submetido a exames periciais. A medida visa confirmar a materialidade dos crimes, identificar possíveis agressores sexuais e suas vítimas, bem como identificar possíveis produtores desse tipo de conteúdo.

No local da busca, com isso, ficou evidente que o suspeito possuía milhares de arquivos de imagens e vídeos relacionados à pornografia infantil, levando à sua prisão em flagrante.

Os crimes de posse e armazenamento de arquivos contendo imagens de abuso sexual infantojuvenil são passíveis de pena de até quatro anos de reclusão, além de multa.

  • AmandaFM_PrimeiroLugar_BANNER_728x90 (1)

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Baixar o App na Google Play Baixar o App na App Store