Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

21 de julho de 2024 Rio do Sul
  • ref_B_Unimed AV_Campanha_Laboratório_ETAPA_03_BANNER-GCD_970x250px

Rotary atua na erradicação da Poliomielite há 35 anos

Campanha de vacinação encerrou com 31% de cobertura vacinal em Rio do Sul; vacina está disponível para crianças com faixa etária preconizada  de acordo com o calendário nacional de vacinas


Por GCD Publicado 24/06/2024 às 06h28
imagem de criança tomando a vacina
Rotary atua na erradicação da Poliomielite há 35 anos – Foto: Prefeitura de Rio do Sul

A Campanha contra a Poliomielite ocorreu entre 27 de maio e 14 de junho. Em Rio do Sul, 1.090 crianças de 1 a 4 anos foram vacinadas, o que representa 31% do público-alvo estimado para essa faixa etária.

📲 Receba no WhatsApp notícias da região do Alto Vale

A Poliomielite (paralisia infantil) é uma doença contagiosa aguda causada por vírus que pode infectar crianças e adultos, por meio do contato direto com fezes ou com secreções das pessoas doentes e, em casos graves, pode acarretar paralisia nas pernas. O Rotary, uma associação formada por voluntários, trabalha há cerca de 35 anos para erradicar a pólio.

Envolvimento do Rotary na erradicação da Poliomielite

O presidente da comissão de combate a Pólio no Rotary Club de Rio do Sul, Rodrigo Gadotti, comenta sobre o envolvimento do Rotary na erradicação da Poliomielite.

“Foram investidos milhões de dólares no mundo inteiro e o Rotary começou esse processo todo quando se tinha ainda essa doença numa fase muito ativa no mundo, muitas pessoas com sequelas por causa dessa doença. De lá pra cá, a gente teve a erradicação dessa doença em vários países, o Brasil é um desses. Porém, para essa doença ser radicada, teve uma campanha de vacinação em âmbito nacional e mundial muito grande. Assim, a média da vacinação alcançada era superior a 90% e isso foi se radicando, a ponto de ter apenas em dois ou três países essa doença. Até uns anos atrás quando começou a diminuir o índice de vacina a doença começou a voltar em alguns países. No Brasil ainda continua erradicado dessa doença. Em países onde a vacinação é muito baixa tem a chance da doença se penetrar na população”, comenta.

LEIA TAMBÉM

Gadotti reforça a importância dos pais levarem as crianças para se vacinarem.

“Então, é importante que os pais levem as crianças para vacinar. Isso é um ato de amor à vida, na verdade, não é uma questão de receio. Realmente pedimos isso de uma forma muito consistente, muito bem embasada e garanto que dessa maneira a gente vai fazer com que essa doença fique, como está há muitos anos, afastada de todo o nosso país“, conta.

Campanha nacional encerrou

Em nota, a Secretaria de Saúde de Rio do Sul explica que a campanha nacional da poliomielite encerrou em 14 de junho. A partir de agora, só receberão a vacina contra a pólio as crianças com faixa etária preconizada de acordo com o calendário nacional de vacinas, ou seja, ao completarem um ano e três meses e aos quatro anos de idade.

Por fim, durante campanhas nacionais, a vacinação com as gotinhas são abertas para todas as crianças, de um ano de idade a cinco anos incompletos. Portanto, esse estilo de imunização é somente durante as campanhas. 

  • AmandaFM_PrimeiroLugar_BANNER_728x90

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Baixar o App na Google Play Baixar o App na App Store