Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

21 de fevereiro de 2024 Rio do Sul
  • ref_a_unimed_AV_banners_INSTITUCIONAL (2)

Mesmo com o quadro de funcionários comprometido, Hospital Regional realiza mais de 80 partos durante as cheias


Por GCD Publicado 18/10/2023 às 09h12
Hospital Regional realiza mais de 80 partos durante as cheias
Foto: Freepik

Devido às cheias que atingiram a capital do Alto Vale, o Hospital Regional de Rio do Sul teve o quadro de funcionários comprometido. O diretor geral, Roberto Ferrari, conta que, diante da situação que o município enfrentava, cerca de 91 funcionários ficaram alojados na unidade e atuaram incansavelmente para atender a demanda de urgência e emergência. Estima-se que desde o dia 1º de outubro até o dia 16, foram realizadas 168 cirurgias e 85 partos.

Ferrari acredita que até na sexta-feira, 20, todos os setores estejam funcionando normalmente com o quadro de funcionários completo para atendimento. “Na sexta-feira nós devemos voltar com as nossas atividades normais, já chamando os pacientes para as cirurgias eletivas. O hospital tende a voltar para uma rotina e com toda certeza a partir da semana que vem nós estaremos com força total para voltar as nossas atividades e o pico de atendimento”, ressalta.

De acordo com o diretor o hospital recebeu ajuda da Defesa Civil com o traslado dos pacientes que recebiam alta. “Muitos foram de helicóptero para casa em função dificuldade de atravessar as vias terrestres”, conta. Sobre suprimentos o hospital se antecipou e estava abastecido para atender durantes os dias, com um pouco de tranquilidade. “Então o nosso grande limitador era funcionário e espaço físico. Felizmente conseguimos atender todos os pacientes que entraram pela urgência e emergência”.

Pacientes da Oncologia

Ele conta ainda que o hospital teve que voltar a atenção para os pacientes da Oncologia, pois não poderiam ficar sem o remédio. “Tivemos que fazer a entrega do medicamento para aquele paciente que faz administração do tratamento via oral. Então nós precisávamos também antecipar, isso a gente já vem fazendo rotineiramente. Além disso, as quimioterapias desde quarta-feira passada começamos a fazer o agendamento. Para aqueles que tinham condições de vir para o hospital, nós já estávamos atendendo e hoje praticamente já está normalizando”, relata.

  • AmandaFM_PrimeiroLugar_BANNER_728x90 (1)

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Baixar o App na Google Play Baixar o App na App Store