Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

17 de junho de 2024 Rio do Sul
  • ref_B_Unimed AV_Campanha_Laboratório_ETAPA_01_BANNER-GCD_970x250px

Jailson Lima da Silva, do PSB, considera aliança com PT, PDT e MDB 

Pré-candidato, ex-prefeito e ex-deputado estadual busca retorno à administração municipal com apoio do governo federal


Por GCD Publicado 10/06/2024 às 17h09
Jailson Lima da Silva, do PSB, considera aliança com PT, PDT e MDB
Jailson Lima da Silva, do PSB, considera aliança com PT, PDT e MDB – Foto: Reprodução Redes Sociais

Jailson Lima da Silva é pré-candidato a prefeito de Rio do Sul pelo PSB. O médico foi prefeito de Rio do Sul entre 2001 e 2005 pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

📲 Receba no WhatsApp notícias da região do Alto Vale

Nas eleições de 2006, foi eleito Deputado Estadual à Assembleia Legislativa de Santa Catarina, com 24.788 votos, também pelo PT. Se reelegeu Deputado Estadual, com 33.129 votos, pela sigla, exercendo a função de 2011 a 2015. 

LEIA TAMBÉM

Jailson candidatou-se, novamente, ao cargo de Deputado Estadual, no pleito de 2014, mas não se elegeu. E, posteriormente, desfiliou-se do PT. Embora ainda tenha uma relação próxima com o partido. O pré-candidato se manifesta favorável ao governo federal.

“Eu não vejo o menor problema, muito pelo contrário, eu acho que isso ajuda. Então, ajuda no sentido de que hoje nós temos um presidente da república chamado Luiz Inácio Lula da Silva, pelo seu terceiro mandato, que administra o país. E temos o vice-presidente que é do meu partido, que é o Geraldo Alckmin, que é médico, meu conhecido de relação pessoal e nós sabemos que Rio do Sul efetivamente para sair do marasmo do ponto de vista das cheias, nós iremos precisar muito do Governo Federal”, conta.

Obras que marcaram seu mandato

Uma das obras que marcou o mandato de Lima da Silva como prefeito, foi a construção da ponte Viriato Alves Garcia, próximo à prefeitura, que acabou caindo devido a um equívoco de engenharia. Mas, o médico ressalta que é lembrado pela realização da ponte da rua XV de novembro.

“Faziam 39 anos e não se fazia uma ponte em Rio do Sul, nós fizemos a ponte da XV em 10 meses. Aquela ponte atrás da prefeitura que foi executado pela Proaço, em que a plataforma era de concreto. Naquele período houve muito calor e a empresa não se deu conta de que a dilatação de concreto teria que ter juntas. Assim, aquilo trincou, quebrou. E a empresa ao retirar acabou caindo parte do concreto, que depois a oposição diz que o concreto foi jogado tudo dentro do rio”, ressalta.

Composição partidária

Sobre composição partidária, Lima da Silva ressalta que está em contato com o PT, PDT e o MDB.

“Então, o Partido dos Trabalhadores é um deles, é o PDT, é outro partido, que a gente tem conversado para a composição partidária. E logicamente que vamos traçar conversas com MDB, até mesmo pelo seguinte, se o Luiz Henrique foi Governador e o Eduardo Pinho Moreira era foi vice-governador, é porque eu existo como ex-prefeito de Rio do Sul. Eu fui o primeiro prefeito do Partido dos Trabalhadores de Santa Catarina, juntamente com Xavinho que pós-início do segundo turno fomos a Florianópolis debatemos um apoio para o Luiz Henrique“, revela.

Por fim, o pré-candidato ainda menciona a falta de investimento do governo do estado na Defesa Civil para evitar enchentes em Rio do Sul.

“Não dá mais para aceitar a insanidade da Defesa Civil, não dá mais para aceitar em Santa Catarina a irracionalidade dos investimentos da Defesa Civil. Assim, se a gente não tirar este cenário de Rio do Sul, nós vamos virar a capital das enchentes”, finaliza.

  • AmandaFM_PrimeiroLugar_BANNER_728x90

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Baixar o App na Google Play Baixar o App na App Store