Estudos indicam necessidade de monitoramento constante das áreas afetadas por enxurrada

Imagem: CPRM.

Com o mapeamento atualizado das áreas de risco para Ibirama, Presidente Getúlio e Rio do Sul, após a enxurrada registrada em dezembro do ano passado, os estudos da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) indicam a necessidade de monitoramento constante das áreas afetadas. Na ocasião, 18 pessoas morreram por causa do fluxo de detritos. O geólogo e pesquisador em geociências, Thiago Dutra, conta que Rio do Sul foi uma das cinco cidades do Estado de SC contempladas com uma nova metodologia para mapeamento de perigo feito em cooperação com o Japão.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.