Após CPI da Covid pedir quebra de sigilo da Jovem Pan, Abert emite nota de repúdio

Imagem: reprodução Abert

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), emitiu na noite deste sábado (31) uma nota de repúdio sobre o requerimento que pede a quebra do sigilo bancário da Rádio Jovem Pan. O pedido foi na sexta-feira (30) e tem a assinatura do gabinete do senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid-19.

Acompanhe a nota de repúdio da ABERT na íntegra.

NOTA DE REPÚDIO:

“A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT) repudia, com veemência, requerimento apresentado na sexta-feira (30) por integrantes da CPI da COVID-19, com pedido de quebra de sigilo bancário da Rádio Jovem Pan, sob a alegação de que a emissora disseminou notícias falsas no âmbito da pandemia. Tal iniciativa não aponta qualquer dado ou informação concreta que justifique a adoção de medida extrema contra uma emissora que está no ar há quase 80 anos, cumprindo o papel de informar a população sobre fatos de interesse público. A ABERT lembra que a CPI tem como objeto investigar ações e eventuais omissões do governo federal no combate à pandemia do novo coronavírus no Brasil, e qualquer tentativa de intimidação ao trabalho da imprensa é uma afronta à liberdade de expressão, direito garantido pela Constituição Brasileira. A ABERT espera que sejam observados a liberdade de imprensa e o Estado Democrático de Direito”.

Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão é uma organização fundada em 1962, que representa mais de três mil emissoras privadas de rádio e televisão no país, e tem por missão a defesa da liberdade de expressão em todas as suas formas.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.