Quadrilha explode agências bancárias, faz reféns e ataca batalhão da PM em Criciúma

Imagem: web.

Criciúma, no sul do Estado, viveu momentos de terror nesta madrugada. Uma quadrilha sitiou o Centro, para assaltar um banco. O grupo fortemente armado invadiu a tesouraria regional de um banco, provocou incêndios, bloqueou ruas e acessos à cidade, usou reféns como escudos e atirou várias vezes. Duas pessoas ficaram feridas: um policial militar e um vigilante. Durante esta manhã o batalhão de operações especiais, através do esquadrão antibomba, trabalhava para desativar artefatos explosivos. O repórter Gregorio Silveira, da Rádio Som Maior de Criciúma, conversou agora a pouco com o tenente Fiorillo, e traz os detalhes dos trabalhos que seguem no sul do estado, após este atentado.

Em nota divulgada nesta manhã, a Polícia Militar deu mais detalhes do ocorrido.

“Por volta das 23h50 do dia 30 de novembro de 2020, criminosos fazendo uso de armas longas, munições de diferentes calibres, explosivos e coletes balísticos efetuaram um assalto em uma agência bancária de Criciúma, assim como efetuaram diversos disparados na área central e no 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM). A ação criminosa, resultou em 2 pessoas alvejadas, sendo um deles um policial militar. O policial passou por uma cirurgia e apresenta um quadro de saúde que ainda inspira cuidados.

A Polícia Militar está empenhada em uma grande operação organizada, para uma pronta resposta nas buscas desses criminosos. O comandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina, Coronel Dionei Tonet, determinou o deslocamento de apoio de todas as equipes especializadas da PMSC, como o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Choque, Batalhão de Aviação, Canil e Polícia Militar Rodoviária Estadual.  As policias Civil, Rodoviária Federal e Federal, estão atuando também na busca por informações que leve a captura dos criminosos. Todas as equipes de Inteligência das Forças de Segurança Pública também estão atuando em conjunto.

Até o momento, foram presas 04 pessoas que fizeram o recolhimento de parte das cédulas de papel que estavam jogadas ao chão em razão da explosão. Com os conduzidos foram localizados cerca R$ 810 mil.  Denúncias podem ser encaminhadas por meio dos telefones 190, ou pelo 181 da Polícia Civil, aplicativo PMSC Cidadão ou Rede de Vizinhos”.

Delegado Geral da Polícia Civil, Paulo Koerich, está em deslocamento para Criciúma e também falou nesta manhã sobre a situação.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.