Após forjar tentativa de feminicídio, mulher de Agrolândia vai responder por denunciação caluniosa, falsa identidade e fraude processual

Imagem: web.

A Polícia Civil, por intermédio das Delegacias de Trombudo Central e Agrolândia, esclareceu a falsa prática de tentativa de feminicídio e descumprimento de medidas protetivas de urgência.

No mês de setembro deste ano, a suposta vítima solicitou medidas protetivas de contra o ex-companheiro, em razão de ameaças de morte que ele teria encaminhado via aplicativo de celular a um parente dela. O pedido foi deferido pelo Poder Judiciário e o suspeito ficou impedido de se aproximar da mulher. Em outubro, ela acionou, novamente, a Polícia Civil informando que o ex-companheiro, após enforcá-la e agredi-la, teria derramado álcool no corpo dela e ateado fogo. Além disso, o suspeito teria feito novas ameaças de morte.

Após apuração, foram verificados indícios de que a mulher teria forjado os fatos. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão na casa dela e, durante a ação, a suposta vítima confessou que mentiu. Ela mesma enviou as mensagens com ameaças para parentes e para a própria rede social dela. Além disso, a mulher confessou ainda ter se machucado e ateado fogo em si para incriminar o ex-companheiro. A motivação seria vingança. Ela vai responder pelos crimes de denunciação caluniosa, falsa identidade e fraude processual.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.