Entidades se mobilizam para prorrogar ou adiar o pagamento de tributo

O ciclone bomba, que provocou estragos em mais de 230 cidades catarinenses, no dia 30 de junho, já totaliza R$ 500 milhões de prejuízos, segundo levantamento preliminar das prefeituras atingidas e do governo do Estado. A situação agrava a crise financeira gerada pela pandemia do novo coronavírus. Com isso, entidades se mobilizam para prorrogar ou adiar o pagamento de tributos, como explica o presidente da Facisc, Jonny Zulauf.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.