Justiça atende Ministério Público e retira o sigilo das investigações sobre a compra pelo Estado de 200 respiradores

 O deputado estadual Marcos Vieira aponta que o novo secretário de estado da saúde, André Motta Ribeiro, também tinha conhecimento do processo de aquisição dos respiradores artificiais por R$ 33 milhões junto à empresa Veigamed. O parlamentar que preside a comissão especial da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina que acompanha os gastos do governo com a pandemia, fala que desde o início ele sabia da compra, do pedido de propina e da opção do estado pela empresa do Rio do Janeiro.

Marcos Vieira reforça o empenho da Alesc para apontar os responsáveis por mais esta crise no Estado. A primeira reunião de trabalho da comissão parlamentar de inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa que vai investigar suposta irregularidades na compra de respiradores artificiais é um dos principais destaques da agenda do Parlamento catarinense nesta terça-feira (12).

A comissão se reúne às 17 horas, no Auditório Antonieta de Barros. No encontro, os integrantes da CPI vão votar o pedido dos deputados João Amin (PP) e Laércio Schuster (PSB) para acareação entre os ex-secretários Douglas Borba e Helton Zeferino e a servidora Márcia Pauli. Segundo os parlamentares, os três tiveram envolvimento com a compra, no valor de R$ 33 milhões. A CPI também votará requerimentos para convocação de testemunhas, além de deliberar sobre o cronograma de trabalho da investigação.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.